Como definir a Capacidade Produtiva da Minha Empresa para ser Mais Lucrativa?


Dentro de muitos negócios, uma das informações mais importantes para seu planejamento é saber o quanto você consegue entregar para seu cliente em um determinado tempo e a que custo. Há muitas formas de avaliar esse potencial, sendo que um dos principais é o cálculo da capacidade produtiva.


Entender essa métrica é fundamental para melhorar sua gestão e aumentar a lucratividade da empresa. E, para te ajudar com isso, vamos explicar o que é a capacidade produtiva, sua importância e como você pode fazer o seu cálculo. Acompanhe.

O que é a capacidade produtiva de uma empresa?

Como o nome já deixa a entender, trata-se da capacidade máxima que a empresa tem de entregar seus produtos ou serviços para seus clientes. Em uma indústria, por exemplo, é o número máximo de unidades que podem ser produzidas por dia. Em outros contextos, pode representar o número de atendimentos que podem ser realizados diariamente.


É sempre bom lembrar que uma produtividade mais alta não significa necessariamente maior lucratividade. Para isso, é necessário ter para onde escoar essa produção, ou então os produtos se acumulam em estoque.

Por que é importante calcular essa capacidade?

O primeiro motivo para entender a capacidade produtiva da sua empresa é ter uma produção mais previsível. Algo que contribui com seu planejamento e rentabilidade. Além disso, também é uma forma de avaliar o desempenho da sua equipe. Se a produtividade real está abaixo muito abaixo da capacidade prevista, é sinal de que há um gargalo de produção que precisa ser lidado o quanto antes.

Como calcular a capacidade produtiva da empresa?

O método usado para fazer esse cálculo pode variar de empresa para empresa e com as ferramentas disponíveis. Confira aqui alguns métodos bem comuns para esses cálculos.


1. Capacidade produtiva instalada


Esse é o cálculo mais básico, onde é considerada a capacidade teórica da sua empresa. Seguindo o exemplo de uma indústria, se uma linha de produção pode produzir uma unidade do produto por hora e há 30 máquinas, então a capacidade produtiva instalada será de 30 unidades por hora. Esse cálculo é uma boa base, mas não leva em conta outras variáveis que também afetam seus resultados.


2. Capacidade produtiva disponível


Segue o mesmo princípio da capacidade instalada, mas leva em conta também outros fatores que afetam a capacidade disponível. Seguindo o mesmo exemplo, essa capacidade de 30 unidades por hora pode ser modificada se algumas das máquinas não estão operacionais 100% do tempo ou se há alteração nessa produtividade devido aos turnos de trabalho utilizados.


3. Capacidade produtiva efetiva


Esse é o cálculo mais completo, pois leva em conta não só o que é teoricamente possível produzir, mas também uma margem de perda prevista. Sendo assim, se você espera que 5% das unidades produzidas não tenham a qualidade ideal para venda, então você pode contabilizar essa perda em suas previsões.


4. Capacidade produtiva realizada


Aqui é feita a mensuração da produtividade depois que ela já ocorreu, levando em conta perdas previstas e não previstas. É mais útil para avaliar o desempenho passado, identificar problemas e corrigir suas estimativas.


Se você quer mais precisão nesses cálculos, levando em contas mais variáveis, incluindo tributos, entre em contato com a Economy e conte com a nossa ajuda.


📍 Av. Antonio Carlos Comitre, 1350 | Sorocaba | ☎ (15) 3411-3938 Whatsapp: http://bit.ly/contabilidade-economy


 

6 visualizações